Porque se deve evitar alcool em dietas !
Apesar de passar a semana inteira à base de saladinhas, grelhados, desnatados, lights e diets, você não consegue enxugar as medidas. Dê uma olhada rápida no seu cardápio das noitadas, happy hours ou coisa que o valha. Lá pode estar a fonte calórica que não lhe deixa emagrecer: os drinques.
As bebidas alcoólicas, além de não alimentarem nadinha, têm muitas calorias. Se a intenção é perder peso, as bebidas alcoólicas precisam ser banidas (ou pelo menos bastante reduzidas) da dieta. Cada grama de álcool tem sete calorias, enquanto um grama de proteínas ou carboidratos tem quatro calorias.
Uma dose de uísque tem cerca de 120 calorias e um copo de suco de laranja tem cerca de 110. O problema, portanto, é mais na quantidade de porções do que no valor calórico da bebida em si. Isso porque, em geral, não se toma quatro copos de suco de laranja numa noite, mas pode-se ingerir essa quantidade de doses de uísque.
Mas o álcool não pode ser avaliado simplesmente pelo valor calórico. Segundo o médico Marcos Tambascia, professor da disciplina de Endocrinologia da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), “as bebidas alcoólicas causam uma irritação gástrica e o indivíduo acaba comendo mais para amenizar os efeitos do processo irritativo”. Lembra do tira-gosto? Tambascia acrescenta: “No caso das bebidas fermentadas, você às vezes acaba perdendo o controle. Cerveja, por exemplo, é uma coisa que você perde a conta”.
“Numa dieta de emagrecimento, geralmente é prescrito o consumo diário de 1220 a 1500 calorias. Assim, 200 calorias somente de álcool têm um impacto muito grande”, diz o endocrinologista. Portanto, se a sua idéia é emagrecer, pense duas vezes antes de aceitar aquele convite para um chopinho.Álcool

Princípio ativo:
Considerado uma droga psicotrópica, o álcool é consumido em bebidas vendidas comercialmente. O teor alcóolico – porcentagem de álcool presente na bebida – varia de acordo com a marca e com o tipo de bebida.
A bebida alcóolica pode ser produzida de duas maneiras: fermentação ou destilação. A cerveja, por exemplo, é uma bebida produzida por fermentação, com baixo teor alcóolico (cerca de 8%). Já os destilados, como o uísque, a pinga e a vodka apresentam teores alcóolicos mais altos, que podem chegar a 45%.

Efeitos:
Os efeitos do álcool no organismo variam de acordo com o tipo de bebida ingerida, organismo do consumidor e constância de consumo. Os efeitos são os mais variados, desde um simples mal-estar até a falência múltipla dos órgãos e morte. A mistura de bebidas – fermentadas com destiladas – contribui para potencializar os efeitos do álcool.

O consumo do álcool causa, em um primeiro momento, euforia, desinibição e sociabilidade. Conforme aumenta a dose, os efeitos passam ser mais depressivos, causando falta de coordenação motora, diminuição sensitiva, descontrole, sono e até uma espécie de coma, denominado coma alcóolico. O álcool pode deixar também o consumidor com o rosto vermelho, causar dor de cabeça, dificuldade de falar e mal-estar seguido de vômito. O consumo contínuo de álcool traz conseqüências graves, como doenças em todos os órgãos do corpo humano, em especial o estômago, o fígado, o coração e o cérebro.

O álcool está intimamente ligado ao aparecimento de certas doenças como a cirrose, gastrite, polineurite, anemia, pelagra e úlceras cutâneas. Além disso, ele causa deficiência de vitaminas B1, B2, B6, B12 e C. O álcool afeta também a parte do cérebro que controla a freqüência respiratória e cardíaca.

Durante a gravidez, o álcool pode causar sérias deficiências físicas ou mentais no feto, assim como uma predisposição ao consumo de álcool na vida adulta.

Teste para saber se você está bebendo demais: http://www.terra.com.br/cgi-bin/inde…alcoolismo.htm
__________________