Stanozolol
Autor Anthony Roberts
Retirado de forums.steroid.com
http://www.mundoanabolico.com – usuario MRPJ

(Stanozolol)
[17b-hidroxi-17-metil-5alfa-andorstano[3,2-c]pirasol]
Peso Molecular(base): 344.5392
Fórmula Química(base): C22 H36 N2O
Ponto de Fusão(base): N/A
Fabricante: Sterling (originalmente) e Zambon (atualmente)
Data de Lançamento(EUA): 1962
Dose Efetiva(Homens): 50-100mg/dia
Dose Efetiva(Mulher): 2.5-10mg/dia
Tempo de Ação: 8 horas
Tempo de Detecção: 3 semanas (oral) e 9 semanas (injetável)
Relação Anabolismo/Androgenicidade: 320:30

Apresentações: Winstrol 2mg/comp U$21, Winstrol Depot 50mg/ml U$19

Stanozolol é muito comum em ciclos de cutting. Enquanto muitas pessoas tentam usar o Dbol e até mesmo o Hemo em ciclos de cutting nunca vi nenhum relato de uso de Stanozolol se não para esse fim. Então que fique bem frisado, Stanozolol é uma droga de cutting. Poucas pessoas usaram ele em ciclos para ganho de peso. Não é um composto eficaz no tratamento da anemia(1) e assim, pode-se afirmar que sua função em um ciclo para ganho de peso é muito limitada.

Um novo uso para o stanozolol em qualquer ciclos (até mesmo os para ganho de peso) seria o uso em doses muito limitadas com o objetivo de reduzir os níveis de SHBG(2). Uma das propriedades mais fortes do stanozolol (por ser um derivado do DHT) consiste em sua habilidade de reduzir os níveis de SHBG muito mais que qualquer outro esteróide. Uma dose de 0.2mg/kg diminuiram
significantemente os níveis de SHBG, o que pode aumentar a quantidade de testosterona livre circulando no corpo. Assim como 99% do esteróides, convém dizer que ocorrerá supressão dos níveis naturais dos seus hormônios (não tão fortemente como com outros esteróides)(10). Assim torna-se aconselhável o uso de uma testosterona junto com o stanozolol para evitar disfunções sexuais.

Adiciona-lo a um ciclo pesado para ganho de peso, parece ser um problema pois o stanozolol é um composto 17aa, isto é, foi alterado para sobreviver ao metabolismo de primeira passagem no fígado. Isso o torna ativo oralmente e hepatotoxico. Na relação mg por mg stanozolol apresenta uma das maiores hepatotoxicidade entre os esteróides. Esse é o problema do seu uso em um ciclo para muito ganho de peso onde geralmente o ciclo é muito pesado em dosagens e assim na toxicidade. Também apresenta resultados negativos no Colesterol, 6mg/dia de stanozolol podem diminuir os níveis de HDL em 33% e aumentar os de LDL em 29%(3). Hipertrofia cardíaca, mesmo em baixas doses, é um consenso no uso de stanozolol(4). Foram observadas também hipertensão com diferentes alterações hemodinâmicas e alterações no controle reflexo do coração em diferentes doses de stanozolol(13). Por isso o uso de stanozolol é muito limitado, em algo como 6 semanas (apesar de relatos de 12 semanas de uso sem problemas). Há relatos de uso de stanozolol por 12 semanas na dosagem de 100mg/DSDN (junto com Propionato de Testosterona 125mg/DSDN) e nenhum efeito colateral. As juntas se mantiveram ok e a única reclamação é a dor das injeções. Geralmente é relatado uma menor lubrificação nas juntas com o uso dessa droga e também um efeito seco no aspecto geral. Isso pode ocorrer por um mecanismo de osmose reversa. É contraditória a opinião sobre stanozolol e tendões (alguns dizem que enfraquece e outros que fortalece). O stanozolol mostrou-se benéfico na prevenção de osteoporose induzida por glicocorticóide através do aumento na densidade mineral óssea e na biomecânica do osso(15) e também foi usado em ulcerações no tendão de aquiles(16). Na dúvida é recomendado que atletas que dependem de explosão
ou esportes de alto impacto se mantenham longe dessa droga. Mostra-se benéfica, também, nos receptores ósseos induzidos por glicocorticóides(5) e na síntese de colágeno(11), porém com todos esses paradoxos atletas de força e velocidade devem se manter longe, para evitar possíveis dores articulares.

O mecanismo de hepatotoxicidade dos esteróides anabólicos ainda não é completamente elucidado. Um estudo usando doses de 2mg/kg de stanozolol por cinco dias na semana durante oito semanas indicou um stress oxidativo no fígado a despeito do up-regulation da atividade das enzimas antioxidantes(14).

Esse composto é apresentado na forma oral e injetável, porém a forma injetável é superior em termos de retenção de nitrogênio(6) e assim, para o anabolismo geral. A forma injetável também evita o metabolismo de primeira passagem, diminuindo um pouco o stress hepático.

Stanozolol também é um composto seguro para mulheres ja que sua relação anabolismo/androgenicidade tende para o lado anabólico. A dose usual fica entre 5-10mg/dia. Já homens podem usar doses ao redor de 0.5-1.5mg/kg por dia. É sugerida a ingestão de 100mg/DSDN ou 50mg/dia(melhor).

Ja que o nível anabólico dessa droga é muito alto comparado as ações androgênicas as pessoas não costumam relatar muitas perdas no pós-ciclo. Interessantemente, o stanozolol se liga fracamente ao receptor androgênico (AR)(7) o que não é usual em esteróides de cutting. A maioria dos efeitos dessa droga, construção de músculos, é provavelmente devido a sua grande habilidade de síntese proteica(6)(8). Porém foi provado em estudo que um única injeção de stanozolol causa uma rápida depleção citosólica do AR no músculo esquelético ratos, assim pode-se concluir que esteróides anabólicos com pouca afinidade pelo AR (assim como stanazolol) pode atuar no AR para produzir respostas biológicas(12). Além disso, por ser um derivado do DHT, ele tende a promover ganhos de qualidade, com nenhuma retenção hídrica. Stanozolol não aromatiza em nenhuma dose e é especulada uma propriedade anti-progestogênica de sua parte (em alguns casos parece bloquear esses receptores)(9). Os compostos que podem ser usados juntos incluem o tamoxifeno por seu efeito benéfico nos lipídeos sanguíneos. A TPC deve ser respeitada.

Outras Apresentações
Stan GC 10mg comprimido
Stan FM 10mg comprimido
Stan FM 50mg/ml injetável
Stanabol BD 10mg
-GoldStano 10mg/ml oral líquido
-Goldstano 50mg/ml injetável

Bibliografia
1. Trop Doct. 2004 Jul;34(3):149-52.
2. J Clin Endocrinol Metab. 1989 Jun;68(6):1195-200
3. JAMA. 1989 Feb 24;261(8):1165-8.
4. J Steroid Biochem Mol Biol. 2005 Jan;93(1):43-8. Epub 2005 Jan 25.
5. Di Yi Jun Yi Da Xue Xue Bao. 2003 Nov;23(11):1117-20.
6. Can J Vet Res. 2000 Oct;64(4):246-8.
7. Endocrinology. 1984 Jun;114(6):2100-6.
8. J Am Vet Med Assoc. 1997 Sep 15;211(6):719-22
9. Agents Actions. 1994 Mar;41(1-2):37-43.
10. Chemical Muscle Enhancement
11. J Invest Dermatol. 1998 Dec;111(6):1193-7.
12. Anabolic-androgenic steroid interaction with rat androgen receptor in vivo and in vitro: a comparative study. Feldkoren BI, Andersson S.
13. Effects of chronic anabolic steroid treatment on tonic and reflex cardiovascular control in male rats. Beutel A, Bergamaschi CT, Campos RR.
14. Effects of prolonged stanozolol treatment on antioxidant enzyme activities, oxidative stress markers, and heat shock protein HSP72 levels in rat liver. Pey A, Saborido A, Blazquez I, Delgado J, Megias A.
15. Effects of stanozolol on bone mineral density and bone biomechanical properties of osteoporotic rats. Liao JM, Wu T, Li QN, Hu B, Huang LF, Li ZH, Yuan L, Zhong SZ.
16. Torpid ulcer on the achilles tendon: conservative treatment with stanozolol and pinch grafting. Redondo P, Lloret P, Bauza A.